segunda-feira, 7 de abril de 2014

Este longo dia que me dura tão pouco...

E como vai proactividade que supostamente vem "atrelada" à Primavera? Esperemos que bem mais animada que a estação em si mesma, que ainda anda um bocadito confusa com a própria identidade. Hoje resolvi abordar uma questão relacionada com a gestão do tempo, já que somos seres dados à rotina... Assim, quanto mais fazemos, mais activos nos sentimos! Quanto menos fazemos, mais lentos, cansados e sem tempo vamos perceber o quotidiano, a modos que uma espécie de tender para a inércia! Desta forma, venho sugerir que
tentemos regrar os nossos novos desafios (aqueles que determinamos aqui, lembram-se?...
http://agiresentir.blogspot.pt/2014/03/felicidade-acompanha-o-meu-caminho.html) de forma agradável e não tirana! É importante sermos nossos amiguinhos, já que não só convivemos com as nossas acções numa base diária, mas também com os nossos pensamentos, logo "apanhamos" com as consequências de todo o nosso comportamento. Deste modo, é essencial que tracemos uma gestão do dia que nos faça mais felizes, tendo cuidado para que não nos frustre. Sugiro, então:
  • Determinar listas de tarefas do que pretendemos fazer, criando o hábito de todos os dias, por exemplo, à noite, rever se o que fizemos ao longo do dia bateu certo ou é necessário rever. Aqui importam uns pormenores. Riscar um item da nossa lista vai fazer com que nos sintamos bem: produtivos, eficazes, animados! Mas a vida é feita de momentos inesperados, pelo que vale a pena não sermos demasiado rigorosos ou exigentes caso algo não aconteça como previsto, simplesmente adequando as tarefas do dia seguinte. 
  • Ao delinear como pretendemos que seja o nosso dia-a-dia é fulcral termos em atenção dois pontos:
    • Colocar as actividades que temos mesmo, mesmo que fazer de forma realista!! (isto evitará ressentimentos ou a sensação de que nunca conseguimos cumprir objectivos).
    • Inserir também actividades que nos deem prazer. Incluir sempre coisas que gostemos de fazer, não porque é uma obrigação mas porque nos agrada faze-las (desde um café com amigos, ler uma revista, banho demorado, momento para meditar, etc, etc....). Este tempo gratificante não apenas nos realiza pessoalmente como potencia a produtividade das tarefas que devem ser cumpridas, porque nos sentimos melhor connosco próprios. Uma espécie de recompensa pelo dever cumprido. E nada de contaminar uns momentos com os outros! Quando for trabalho é para estar focado, quando for lazer é mesmo para relaxar. Sermos tolerantes connosco próprios permite que consigamos valorizar cada momento e ser mais eficiente: "Eu mereço aproveitar um momento de tranquilidade e prazer, uma vez que trabalhei bem" e o contrário também é válido "Sinto-me mais revigorado no trabalho, cansado mas estou focado já que sei que depois vou poder relaxar". 
Então resumindo (vamos lá a ver se desta consigo...): planear e rever o quotidiano, adequando-o às necessidades e pequenos (grandes?) prazeres, sempre a respeitar o inesperado. Ah!, consegui resumir e numa só frase! Abaixo ficam algumas rotinas criativas de personalidades conhecidas, para que possam inspirar-se, aprendem, desaprender (sim, em alguns casos é possível que sim...) e talvez até encontrar padrões entre eles e descobrir uma fórmula fantástica para o quotidiano perfeito (por favor, se descobrirem, não hesitem em partilhar. A gerência agradece!). 

Divirtam-se e até breve!


4 comentários:

  1. Olá, sou o Filipe Gonçalves, o seu paciente de sábado de manhã. Tenho estudado esta dinâmica da lista de tarefas ou das rotinas creativas e devo dizer que é uma ferramenta muito poderosa para encontrar tempo para a nossa felicidade. Planear as suas tarefas, é um passo essencial para encontrar tempo. É verdade que o tempo parece "esticar", quando criamos mais tarefas planeadas. O oposto a isso, é deixar que o tempo passe para nos dar a sensação que já não temos tempo. Por isso recomendo a todos os visitantes deste fabuloso blog, que sigam à risca estas recomendações.
    Fiquem bem e apostem nesta muito querida profissional de psicologia, que de facto sabe ajudar.
    Cumprimentos,
    Filipe Gonçalves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Filipe, como está?
      Agradeço-lhe as suas amáveis palavras e a visita a este nosso espaço. Espero que seja do seu agrado e que passe a ser um visitante regular, é muito bem-vindo!
      Concordo plenamente com o que descreve, o planeamento do quotidiano pode transmitir-nos a segurança e autoconfiança que necessitamos para introduzirmos, também, espontaneidade e dinamismo.
      Muito obrigada pela partilha, desejo-lhe uma excelente semana!
      Atenciosamente,
      Isabel Filipe

      Eliminar
  2. Adorei a imagem partilhada! Acho que tenho que criar um destes quadros circulares para começar a implementar algumas rotinas que são bem precisas :)
    Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Teresa! Dedicarmos um pouco do nosso tempo simplesmente à gestão do mesmo pode ser muito benéfico e trazer bons resultados. É importante termos conhecimento em que áreas despendemos o nosso quotidiano e se estamos satisfeitos ou pretendemos investir mais numas esferas do que noutras.
      Espero que resulte para si também!

      Eliminar