quarta-feira, 23 de julho de 2014

Trabalhar de Graça, by Teresa Calisto

Hoje faço a partilha de um espaço que gosto bastante. Apresento-vos uma comunicadora nata, que atribui nome às coisas, tal qual como deve ser! Recomendo vivamente que descubram como podem criar e melhorar a vossa marca pessoal com Teresa Calisto. E, embora agradeça a gentil referência que me foi feita neste tema, prometo que
não é por isso que o partilho. É um sítio com tantos outros temas interessantes expostos de uma forma deliciosa, que acredito que vale a pena conhecer e pôr em prática. Ainda voltaremos a este espaço. 

Divirtam-se, aprendam muito e digam lá: Acontece-vos isto?! Acham que se prende com uma lógica do simples "abuso" ou acreditam que quem tenta obter informações, deste modo informal, está totalmente disposto à retribuição solidária do favor? Aceitam-se sugestões.


Eu, marca registada: Trabalhar de Graça: OK, este é um assunto meio peganhento. Falar de dinheiro é sempre meio peganhento, né? Mas pelo que me é dado a perceber, é um assunto qu...

Até breve!

Ajamos sobre o que sentimos, antes que o sentimos aja sobre nós!

Isabel Filipe

2 comentários:

  1. Olá Isabel,
    Obrigada pela divulgação :)

    Gostei do "acreditam que quem tenta obter informações, deste modo informal, está totalmente disposto à retribuição solidária do favor?" Fez-me rir, confesso.

    Eu acho que não, nem sequer semelhante ideia lhes passa pela cabeça.
    A perspectiva com que olhamos para a nossa vida é completamente diferente (e distorcida?) do modo como olhamos a vida dos outros. Quando pedimos um favor, é "um favorzinho". Quando nos pedem um favor, é "um inconveniente, que isto há pessoas com uma lata..."
    E isto, somos todos, eu inclusivé.

    Parabéns pelo blog e obrigada!
    Até breve!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Teresa,

      Obrigada pelas suas palavras! Confesso que concordo com a descrição que apresenta da nossa diferente atitude relativamente ao que é a nossa vida e quando é a vida dos outros. Há uma enorme tendência para contar com as pessoas à nossa disposição, não se disponibilizando de igual forma ("também o que é que lhe custava?!..."), porque os outros, por vezes (quase sempre...), estão sentadinhos à espera que nos lhe atribuamos algum interesse à vida... Sendo que a nossa vida é sempre muito complicada/complexa/ocupada/difícil.... Lembra-me os Anaquim :)

      "As vidas dos outros nunca me soam mal
      Vêem problemas no que é no fundo normal
      Ai se eles soubessem como é viver assim
      As vidas dos outros são tão simples para mim"

      Eliminar